Nossas redes

Cinema

Mortal Kombat: o novo e o velho

Publicado

em

Mortal Kombat

Novo Mortal Kombat resgata a honra da franquia de games e diverte com ação baseada em fan services

 

O novo filme baseado em Mortal Kombat está entre nós. Mas você se lembra da primeira produção dessa franquia, baseada num dos games de luta mais amados da cultura pop?

Os filmes anteriores de ‘Mortal Kombat’ estão naquela malfadada lista de adaptações cinematográficas de jogos que fedem mais do que peixe em fim de feira. ‘Double Dragon’, ‘Street Fighter’, ‘Super Mario Bros’… é difícil escolher qual deles falha mais miseravelmente.

O primeiro longa, de 1995, tinha como principal atrativo a presença do indefectível Christopher Lambert – sim, o eterno Highlander – na pele do poderoso Raiden, que faz quase nada importante na história. Dirigido por Paul W. S. Anderson, da irregular franquia ‘Resident Evil’ – também baseada nos games, olha só! – , o filme fez um moderado sucesso e rendeu uma continuação PÉSSIMA, cheia de (d)efeitos especiais capengas e cenas vergonhosas cheias de humor… involuntário. 

 

O filme atual

Com esse “histórico”, era compreensível que os fãs da série de games ficassem um tanto cabreiros. Mas durmam tranquilos! A produção desse novo ‘Mortal Kombat’ tá bem caprichada, as cenas de luta estão violentíssimas e as caracterizações dos personagens ficaram fiéis e satisfatórias.

A trama segue os acontecimentos do jogo ‘Mortal Kombat 11’ e mostra como Cole Young (Lewis Tan, de ‘Wuo Assassins’) como um lutador que tem um “combate mortal” como herança e não faz a menor ideia disso. E só começa a se tocar quando é atacado por um certo guerreiro com poderes térmicos… chamado Sub-Zero. 

Aí começa uma série de fan services, aparecendo Raiden, Sonya Blade, Jax, Liu Kang, Kung Lao… a lista é tão longa quanto nos jogos. A trama é bem básica, as forças da Terra contra as da Exoterra – lideradas por Shang Tsung (Chin Han, numa das melhores interpretações da produção), nada muito complexo. Na real, o roteiro é uma sucessão de imagens para agradar quem joga MK. Isso é ruim? Não necessariamente. Dava para ser melhor? Com certeza.

 

Por que assistir?

Ainda que não tenha a melhor história que você já acompanhou, ‘Mortal Kombat’ é um espetáculo visual de primeira categoria. A porradaria é bem coreografada, os efeitos bonitos e, finalmente, a violência é na medida que os players viam nos jogos. Um pouquinho menor, vai. Mas já vale. É cinema pra comprar pipoca e se divertir sem se preocupar com mais nada. E sem exigir muito também. É Mortal Kombat, pô!

 

Mortal Kombat (2021)

Direção: Simon McQuoid
Roteiro: Greg Russo e Dave Callaham
Elenco: Jessica McNamee, Josh Lawson, Tadanobu Asano, Mehcad Brooks, Joe Taslim
Duração: 110 minutos
Distribuição: Warner Bros. Pictures

 

Continuar Lendo
Clique e comente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *